terça-feira, setembro 28, 2010

No Caminho da Dança, cap. IV

- Vamos! Eu sei que vocês são mais flexíveis que isso!

Márcia falava enquanto caminhava pelas alunas de sua aula de chão. Era quinta-feira, um dia especialmente doloroso para quase todas as meninas da dança. Teriam aula de chão no ballet, jazz e no street dance.

Lizzy estava concentrada, pensando apenas em todos os movimentos que seu corpo realizava. Seus músculos da perna doíam, mas tinha que manter a postura e a flexibilidade a todo custo. Como faria um bom arabesque* se não se esforçasse?

- Bom! Agora relaxem um pouco os músculos e vamos continuar.

Lizzy se sentou no chão e procurou Isabel. Ela havia chegado atrasada e estava do outro lado da sala. Lizzy sorriu ao imaginá-la falando com Thomas e riu discretamente.

- Acho que já deu para descansar. Todas de pé. Quero ver um Grande cart** bem alongado!

Realizaram o movimento com suavidade. Algumas não conseguiam realizá-lo por completo e não chegavam ao chão, o que obrigava a professora a empurrá-las um pouco.

- Podem relaxar. É tudo por hoje. Tenham um bom dia, e até amanhã.

Lizzy se alongou um pouco para relaxar os músculos e foi falar com Isabel.

- Como anda o Thomas?

- Muito bem Lizzy. É uma pena que ele não venha hoje. Já até sei como falarei com ele.

Ela não pode saber

Lizzy pensou um pouco apavorada. Sorriu tentando disfarçar a pequena onde de pânico que sentira. Tentando mudar de assunto e esquecer a aposta, perguntou porque Bel chegara atrasada.

- Furou o pneu do carro e tive que esperar alguma alma caridosa para me ajudar. Eu não faria isso sozinha por nada. Vai que lasco uma unha?

Lizzy riu e as duas seguiram para as outras aulas, entre a correria de trocar de roupa e chegar no horário.

Ao final da aula de street dance.

- Lizzy, você vai almoçar aonde hoje?

Lizzy deu de ombros enquanto pensava. Não havia combinado nada com Jane.

- Não sei.

- Vamos almoçar juntas no novo restaurante de saladas aqui perto? Jane pode ir também.

- Por mim tudo bem. Só tenho que ligar e avisar que vou almoçar com você.

Lizzy ligou para Jane. Ela almoçaria em casa junto com Lisa, uma das amigas das aulas de pinturas em madeira.

Tudo
arranjado, Lizzy e Bel seguiram á pé para o restaurante. Ele era bem agradável e a salada era muito saborosa.

Isabel e Lizzy estavam sentadas perto da vitrina, que era de vidro, o que permitia que pudessem admirar o fluxo de pessoas que passavam apressadas pela calçada em seu horário de almoço.

- Lizzy, lembra de quando almoçamos pela primeira vez juntas?

- Como poderia esquecer? Você foi colocar ketchup no seu bife e acidentalmente fez voá-lo por todo o restaurante. Todo mundo ficou sujo!

As duas começaram a rir ao se lembrar da cena.

[flash back on]



- Tem uma mesa aqui Lizzy!

Bel acenou do outro lado do restaurante. Lizzy pegou sua bandeja e dirigiu-se até a amiga. Acomodou-se do outro lado da mesa, de modo a ficar de frente para a amiga.

- Me passa o ketchup?

Lizzy entregou o pequeno sache a amiga e começou a comer e a observar as inúteis tentavas da amiga para abri-lo.

- Tente com outro.

- Não, eu vou conseguir!

Depois de uma puxada especialmente forte, o pequeno sache se abriu no meio, o que fez que ketchup voasse para todos os lados em um ângulo de trezentos e sessenta graus.

Um homem corpulento, que usava uma impecável blusa branca social, recebeu a maior dose e ficou extremamente irritado. Começou a berrar que teria uma reunião importante e que estava arruinado.

Depois de mil pedidos de desculpas por parte de Bel e risos incontidos de Lizzy, o homem foi embora, ainda irritado.

[flash back off]

- Não! Não era isso que eu estava pensando! Foi no jogo que inventamos depois!

-Ah! Claro que me lembro! Tínhamos que escolher uma característica especial e a outra tinha que achá-las nas pessoas.

- Essa! Vamos jogar?

- Tudo bem...

- Eu quero uns olhos azuis extremamente encantadores!

Lizzy aceitou o desafio e começou a vasculhar a calçada com o olhar. Não achava ninguém.
“ Ora! Será possível que nenhum par de olhos azuis vai passar por aqui?

Seu sangue gelou ao terminar de pensar que a missão se tornara impossível. Avistou ao longe um par de olhos azuis que já vira antes. Não. Não poderia ser ele de novo.

Lizzy se levantou e deixou uma Bel perplexa na mesa. Saiu correndo pela calçada, tentando encontrar novamente aquele olhar em meio à multidão.
Não o achou. O homem que a acompanhou na excursão noturna a academia sumira novamente.

Lizzy voltou para a mesa, onde Isabel continuava sentada.

- Por Deus, o que aconteceu?

- Eu vi o homem que me achou na academia.

- E por que você saiu correndo desse modo atrás dele?

- Eu...

Lizzy parou para pensar. Não sabia a resposta para a pergunta de Bel. Só sabia que se sentia extremamente atraída por aqueles olhos misteriosos e brilhantes.

***************************************
Grand écart - http://www.peinturedemadeleine.com/images2/AQ1.jpg
Ele é feito no chão.
arabesque - Um passo de ballet. Uma perna esticada atrás do corpo. A outra perna, pode estar esticada ou não. Os ombros e os quadris devem estar virados para frente.
http://www.paacademyofballet.com/images/1st%20arabesque.JPG



*************************************************

Um comentário:

  1. To viciada!
    Por mim vc postava 2 capítulos em um dia!
    rs
    Vou esperar vc terminar pra imprimir também!
    bjO

    ResponderExcluir