domingo, novembro 21, 2010

Capítulo XVIII

Capítulo XVIII
Lizzy chegou em casa depois dos ensaios com Darcy e não encontrou Jane em casa. Charlotte já dormia esparramada em sua cama e Luciene dormia encolhida na sua.

Fechou a porta do quarto delas devagar e seguiu para a cozinha, para preparar alguma coisa para comer antes de dormir. Serviu um copo de leite e encostou-se na bancada de granito, esperando que o pão que havia posto na chapa ficasse pronto.

Pão comido e leite terminado, Lizzy ia saindo da cozinha quando lembrou do ateliê improvisado de Jane. Lançou um rápido olhar para a porta de entrada e verificou se alguma luz estava acessa, indicando a chegada de alguém. Estava tudo escuro.

Lizzy andou com passos leves até o ateliê e tentou abrir a porta. Estava trancada. Murmurou um “droga” e começou a procurar as chaves onde pudesse estar escondida. Procurou em vasos de plantas, embaixo de roupas e no armário de limpeza. Não encontrou em lugar nenhum. Bufou derrotada e foi para o quarto.

Despiu-se preguiçosamente e entrou no banho. Deixou a água quente escorrer-lhe pelas costas e suspirou cansada. Terminou de tomar banho rapidamente e vestiu o blusão que usava para dormir. Secou o cabelo com a toalha e deitou na cama. Adormeceu quase que instantaneamente, e sonhou mais uma vez com aqueles brilhantes olhos azuis e seu dono.

************************************************
Lizzy acordou na manhã seguinte com as energias recarregadas. Jane ainda dormia tranqüila em sua cama e com um sorriso singelo nos lábios. Lizzy riu baixinho ao ver a expressão suave da irmã e reparou em um casaco que não pertencia a Jane pendurado em uma cadeira da escrivaninha. Sorriu ao constatar que devia a pertencer ao tal Charles Bingley e saiu do quarto sem acordar a irmã.

Tomou um rápido café e seguiu de ônibus até a academia que estava praticamente vazia, com apenas alguns alunos de música preparando-se para os testes que seriam realizados para a apresentação de artes.

O estomago de Lizzy fez uma volta de 360º ao lembrar que o seu próprio teste seria daqui a quatro dias. Respirou fundo tentando se acalmar e dirigiu-se para a sala a fim de ensaiar sua coreografia solo, que não era ensaiada desde segunda à noite.

Deixou sua bolsa sobre o banco e ligou o som. Fez um pequeno aquecimento antes de começar a dançar e alongou-se bastante. Finalmente começou a passar a coreografia que já estava pronta e ficou contente ao notar que estava praticamente perfeita. Tinha uns pontos que tentaria melhorar, mas nada que acabasse com a coreografia em si.

- Ah, finalmente resolveu treinar a coreografia solo!

Isabel implicou com a amiga entrando na sala que Lizzy ensaiava e sentou-se no banco. Lizzy parou de dançar e sentou-se ao lado da amiga.

- Bom dia pra você também. – respondeu rindo. – Como vão os ensaios com Thomas?

Lizzy perguntou desligando a musica e tirando as sapatilhas de jazz que usava. Guardou-as na bolsa enquanto olhava a expressão feliz da amiga.

- Tem certeza que vocês estão ensaiando?

Perguntou rindo do tom rosado que a amiga ficou. Isabel a fuzilou com os olhos e resolveu entrar no joguinho de alfinetação da amiga.

- Um pouco dos dois ...mas e você? Tem conseguido ensaiar com um gostoso daqueles te apalpando?

Isabel devolveu na mesma moeda, recebendo em troca um olhar indignado. Riu da cara da amiga, o que fez Lizzy ficar mais lívida do que já estava.

- Para sua informação, Isabel Anne Morrits, eu estou trabalhando com ele, e não me divertindo.

Lizzy fez questão de frisar a palavra trabalhando, o que não mudou em nada a expressão sapeca que começava a se formar na amiga.

- Mais vai me dizer que não tem vontade de agarrar ele ali mesmo, e tasca um daqueles beijos maravilhoso? Oh, aqueles lábios não me enganam não... tem a maior cara de ser carnudinho e bom de beijar, além de que ele deve ter a maior pegada!

Continuou provocando Lizzy que pareceu um pouco desconcertada. Ela realmente tinha vontade de beijá-lo e provar daqueles lábios que prometiam ser maravilhosos, e corou ao perceber que já havia reparado neles, mesmo que
inconscientemente. Mas não perdeu a pose diante da amiga, mesmo que todas as “acusações” fossem verdadeiras.

- Ele é bonito sim, mas a minha relação é estritamente profissional, e nada mais. E, além disso, se eu me envolver com ele, mesmo que seja apenas um beijo, todas as línguas maldosas falariam que passei no teste, isso se eu passar, pelo simples fato de estar envolvida com o dono da academia. E eu não quero isso.

Com esse discurso tão convincente feito por Lizzy, Isabel parou de implicar com a amiga. Mas é claro que continuava convencida de que Lizzy estava sentindo algo mais por Darcy, e que só iria admitir depois dos testes.

As duas saíram da sala em direção aos vestiários para dar uma ajeitada no cabelo e colocar o uniforme para a primeira aula.

Lizzy terminou de se arrumar um pouco antes que Isabel, que travava uma pequena luta contra sua calça de Lycra que se recusava a passar pelas coxas.

Depois de mais alguns tombos e pulinhos para que a calça entrasse, finalmente puderam seguir para a aula de street dance. Maila já esperava as alunas enquanto mexia em alguns cd’s próxima ao som.

Caroline e mais duas meninas com poses tão arrogantes quanto à dela conversavam a um canto, lançando olhares desdenhosos para as outras alunas que calçavam as sapatilhas ou alongavam-se enquanto conversavam entre si.

Bel e Lizzy já estavam de sapatilhas, então começaram logo com uma pequena série de alongamentos básicos, para não sofrerem nenhuma dor muscular grave.

- Muito bem, todas aqui!

Maila chamou “pausando” a musica que ouvia e se aproximando do centro da sala. Todas as alunas rodearam a professora.

- Hoje faremos um exercício diferente. Vocês se dividirão em dois grupos, e quero que cada um crie uma coreografia com a musica que escolherem. Espero que usem do bom senso, e não façam uma coreografia vulgar.

A professora anunciou enquanto algumas alunas cochichavam entre si. Lizzy e Isabel trocaram alguns olhares divertidos e Caroline exibia mais que nunca um olhar de superioridade, como se fosse banal poder criar uma coreografia livre em uma aula de dança, e como se fosse a coisa mais fácil do mundo.

- Elizabeth e Caroline, escolham os grupos.

Maila pediu para uma surpresa Elizabeth e uma satisfeitíssima Caroline, que se adiantou à frente de todas as outras meninas, empinando mais ainda o nariz. Lizzy se aproximou e tiraram um rápido “par ou impar”. Como Caroline ganhou, escolheu primeiro, e assim sucessivamente.

Grupos decididos, as meninas do grupo de Lizzy se reuniram á um canto e tentaram decidir uma musica. Depois de uma votação, escolheram a musica e começaram a elaborar os passos que fariam.

Maila instruiu as meninas do grupo de Lizzy e entregou o cd com a musica para elas, guiando-as depois para uma sala separada onde poderiam treinar sem que sua coreografia fosse vista pelo outro grupo.

****************************

Lizzy ligou a musica no som disponível da sala e começou a ouvir a musica. Algumas sugestões de passos foram dadas juntas com algumas reclamações e modificações, e finalmente terminaram a coreografia. Agora era treinar e esperar Maila aparecer para chamá-las.

Treinar não era a parte mais fácil. Ter que sincronizar os tempos e arrumar os movimentos não era uma tarefa muito agradável, e que exigia uma paciência bem grande.

Uma hora depois, a coreografia já estava quase pronta, e todas estavam com uma sincronia perfeita. Maila ficou parada um pouco a porta enquanto olhava a coreografia sem ser percebida pelas alunas que estavam absortas.

- Muito bem! Adorei a coreografia! Agora vamos voltar para a sala que o tempo já acabou.

E assim seguiram para a sala onde o grupo de Caroline já as esperava, e Caroline com um sorriso de vitória no rosto fez com que as outras meninas do grupo de Lizzy concentrassem ainda mais na coreografia ensaiada.

- Lizzy... se importar de apresentar-se primeiro?

Maila pediu sorrindo. As meninas concordaram tomaram suas marcações.

http://www.youtube.com/watch?v=NvnDwysWHr4&feature=related

N/a: Esse vídeo faz parte de um programa onde pessoas reproduzem a coreografias de vídeo clipes de músicas. Foi particularmente difícil achar uma que não tivessem muitas piruetas e saltos elaborados por que nessa aula na fic só tem meninas... por favor, relevem tudo o que tem antes da coreografia e as entrevistas. Espero que gostem

Caroline assistiu tudo com uma expressão estranha, como se uma coisa muito mal cheirosa estivesse eternamente debaixo de seu nariz.

As meninas que dançavam terminaram com um sorriso de satisfação e congratularam-se entre si.

- Muito bom, meninas! Achei um bom trabalho pra tão pouco espaço... aquelas movimentações que vocês fizeram de braços no inicio da coreografia ficou muito bom.

Elas agradeceram os elogios e sentaram-se no banco bebendo um gole de suas garrafas de água. Caroline arrumou as meninas de seu grupo nas posições inicias e pediu que Maila soltasse a música.

http://www.youtube.com/watch?v=WritjzfOg-o&feature=related

N/a: Essa coreo é do mesmo programa e também me deu um trabalho... continuou pedindo que relevem o apresentador e todo o resto.

- Meu Deus! Eu não esperava que a minha turma estivesse num nível tão bom!

Maila elogiou fazendo com que um sorriso irritante surgisse no rosto de Caroline. A professora fez mais alguns comentários e dispensou a turma.


***********************************
Lizzy e Isabel combinaram de comer em um restaurante perto da academia, e desciam as escadas de mármore até alcançarem a rua.

- Eu não acredito que aquela Magrela Desbotada fez uma coreografia descente!

Isabel reclamou prendendo o cabelo com um elástico que achara dentro da bolsa. Lizzy ria da cara descontente da amiga.

- Não foi ela Bel, e você sabe disso. Aquela coreografia tem a cara da Susan.- Respondeu tentando apaziguar a fúria da amiga.

- É, pode até ser, mas ela é que vai levar o crédito! – Isabel continuou não agüentando manter a pose zangada e rindo.

Atravessaram a rua e entraram no restaurante, sentando-se em uma mesa próxima a janela, por onde uma brisa refrescante entrava. Almoçaram enquanto conversavam amenidades.

- Lizzy... aquela não é a Charlotte? – Bel perguntou olhando pela janela.
- É.. ela deve estar em horário de almoço. – Lizzy respondeu não dando muita importância.

- Quem é aquele com ela? – Bel perguntou reparando em um moreno que a acompanhava de braços dados.

- Não sei! – Lizzy respondeu olhando bem o homem. – Mas eu sei que ela vai ter muito que me contar quando chegar em casa! – respondeu com um sorrisinho malicioso.

Terminaram de almoçar e seguiram para as ultimas aulas do dia.

**********************************

Ao final das aulas, como sempre na ultima semana, Lizzy seguiu para o vestiário e trocou de roupa. Prendeu o cabelo novamente em um coque e guardou as coisas em seu armário.

Os corredores estavam praticamente vazios, e Lizzy pode ouvir ao longe o som de uma doce melodia.

http://www.youtube.com/watch?v=Zyeok3XZs3k
( diretamente do filme! )

Aproximou-se sem fazer barulho, a música aumentado a cada passo que dava. A porta da sala estava entreaberta e Lizzy não resistiu ao impulso de espiar pela fresta.

Uma menina loira com longos cabelos e cachos tocava delicadamente em um grande piano de cauda, a mão deslizando calmamente pelas teclas.

“ Não deve ter mais que 15 anos...”

Lizzy pensou sorrindo e tentando ver a menina pelo espelho na parede. Uma sombra passou pelo espelho e inesperadamente a porta se abriu, revelando Darcy.

Lizzy pensou sorrindo e tentando ver a menina pelo espelho na parede. Uma sombra passou pelo espelho e inesperadamente a porta se abriu, revelando Darcy.

Lizzy corou furiosamente e podia-se ouvir o som de seu cérebro maquinando uma desculpa para estar espiando pela porta. Mas não havia uma desculpa realmente boa.

- Elizabeth! O que você estava fazendo?

Darcy perguntou segurando o riso. A menina que continuava sentada ao piano sorriu. Lizzy recuou levemente e sorriu sem graça.

- Nesse horário o andar costuma estar vazio... então vim ver se estavam precisando de alguma coisa.

Ela respondeu inventando um desculpa qualquer, mas que não deixava de ser verdade. Darcy sorriu, o que a tranqüilizou um pouco.

- Está e minha irmã Lizzy. Georgiana Darcy.

Darcy apresentou puxando Lizzy delicadamente para a sala e indicando a menina ao piano. Georgiana se levantou e cumprimentou Elizabeth muito educada, com os olhinhos brilhando como se ela soubesse de um segredo muito importante.

- Por favor, me chame de Georgie. Georgiana é muito grande.

Pediu sorrindo. Elizabeth sorriu também.

- Então me chame de Lizzy. Elizabeth também é um nome muito cumprido.

As duas começaram a ter uma conversa feminina e Darcy as observava com um sorriso nos lábios. Era muito bom que as duas se dessem bem. Georgiana normalmente era uma menina tímida e que demorava a se soltar com pessoas que não eram conhecidas, mas por mais incrível que pudesse parecer, ela simpatizara com Lizzy e conversavam como se fossem velhas amigas.

Mas Georgie realmente já sabe muito sobre Lizzy. Pelo que eu conto deveria saber...”

Darcy pensou sorrindo ainda mais. Lizzy se levantou.

- Darcy... temos que ensaiar.

Lembrou-lhe delicadamente. Darcy concordou e seguiram para a sala de dança, depois que Georgiana garantiu que ficaria treinando por mais um tempo lá mesmo.

***********************
Darcy e Lizzy chegaram na sala e começaram a se alongar. Lizzy ligou a música e começaram a ensaiar...