terça-feira, novembro 02, 2010

Capítulo XIV- No Caminho da Dança

Lizzy subiu para o seu apartamento com um sorriso bobo brincando em seus lábios. Adentrou a sala ainda sorrindo e encostou a porta. A sala estava na maior penumbra e Lizzy assustou-se ao ver a luz do abajur acender e Jane encará-la séria.




- Onde você estava até uma hora dessas?



Perguntou bancando a senhor Bennet. Lizzy sorriu com o carinho da irmã e sentou-se ao seu lado, abraçando-a.



- Desculpe-me Jane. Mas eu estava desesperada.



Sussurrou para a irmã que a abraçou e passou-lhe um pequeno sermão de irmã mais velha e preparou um jantar rápido para a irmã.



- Soube que Oliver não poderá dançar...



Jane falou em tom solidário. Lizzy sorriu.



- Não... ele não vai...



- Então por que você está com esse sorriso bobo na cara?



Jane perguntou desconfiada. Lizzy começou a narrar tudo que havia acontecido em seu encontro com Darcy e Jane cada vez mais ficava admirada.



- Eu não acredito que ele vá dançar com você!



Jane falou ainda boquiaberta.



- Para falar a verdade nem eu mesma acredito. Eu sugeri isso como uma brincadeira... mas parece que ele levou a sério!



- E como será que o povo da escola irá reagir a isso?



Jane perguntou, tocando em um assunto em que Lizzy ainda não havia pensado. Se ela ganhasse um papel na peça, dançando com Darcy, poderiam achar que não foi devido ao seu próprio sucesso... e sim a influencia que ela possuía lá dentro.







- Eu não havia pensado nisso Jane.



Lizzy responde começando a se preocupar com o assunto. Teriam que tomar cuidado.



- Bem, acho que você está cansada e tem que dormir.



Jane falou em tom autoritário. Lizzy caminhou para o quarto obediente e tomou um banho antes de deitar na cama e adormecer, pensando em um belo par de olhos azuis e seu dono.



************************



Lizzy permitiu-se não ensaiar na manhã seguinte, e seguiu bem disposta para a escola, encontrando Isabel no meio do caminho.



- E ai amiga? Como você está?



Bel perguntou em tom solidário, enquanto procurava no rosto de sua amiga sinais de tristeza como lágrimas secas e olheiras. Lizzy narrou-lhe todo o acontecido enquanto via um sorriso se estampar nos lábios da amiga.



-Eu não acredito! Você tem um dia de cão, fica desesperada e acaba sendo consolada por esse Deus maravilhoso e ainda o ganha como par para o teste! Por que eu não tenho uma sorte destas?



Ela fala fazendo drama e fazendo Lizzy rir. Chegaram à sala e tiveram a aula normalmente, com os passos desengonçados de Caroline, os comentários de Lyra e muitas risadas para alguém que em menos de vinte e quatro horas estava a beira de um ataque.



*****************************

Ao final da aula, Lizzy se despediu de Isabel e seguiu para o vestiário para trocar de roupa.



Prendeu o cabelo em um coque e pos o vestido que usava para ensaiar. Calçou seus sapatos de dança e seguiu para a sala. Passou um pouco de breu no solado e no chão.



Colocou a música no som e começou a bolar uma nova coreografia para sua dança.



Poucos minutos depois, Lizzy vê a porta se abrindo e abre um sorriso ao ver Darcy entrando pela porta.



Ele estava realmente bonito. A blusa social branca que usava estava com os dois primeiros botões abertos, revelando uma parte do peitoral másculo de Darcy. A manga estava dobrada até a altura do cotovelo.







Ele usava uma calça social básica. Seu cabelo estava um pouco bagunçado e seus olhos brilhavam tão intensamente que pareciam duas pérolas reluzentes.



Sorria, um sorriso tão estonteante que as pernas de Lizzy fraquejaram.



- Você realmente veio!



Lizzy falou pensando que aquele homem deveria ser uma miragem. ( N/A: diga-se de passagem, uma bela miragem).



- É claro! Pensou que eu a deixaria esperando?



A voz dele soou grave e retumbante. Lizzy sorriu e se aproximou.



- Não duvidei. –



Ela respondeu sorrindo. Darcy deu uma olhada pela sala vazia, que como sempre estava com todas as luzes apagadas sendo iluminada simplismente pela luz da lua que invadia a sala pelo grande vitral.



- Você sempre dança no escuro? – ele perguntou



-Na maioria das vezes sim... eu fico mais inspirada.Agora, vamos começar?



- Claro. Eu mal posso esperar pelas minhas aulas.



Lizzy riu e desligou a música que ainda tocava.



- O que você sabe sobre o tango*?



Ela perguntou enquanto encarava Darcy, agora assumindo um ar mais profissional.



- Que se dança a dois e que é muito lindo na Argentina.



Ele respondeu sendo sincero. Lizzy deu uma risada.



- Deixe-me falar um pouco sobre o tango. O tango é uma dança sensual, que exige movimentos firmes. Os bailarinos devem estar sempre próximos, e os movimentos exigem sensualidade. È uma dança da carne, do desejo. É um diálogo novo, a sedução feita em movimentos, o ir e vir, o encontro de dois mundos. Pode parecer uma dança fácil... mas não é. Ela exige confiança no parceiro, por causa das piruetas e jogo de copo realizado. E eu confio em você!



Ela explicou para Darcy, que estava completamente concentrado. Lizzy se aproximou dele e ajeitou seus braços em sua cintura.



- Não tenha medo de me tocar. O tango exige o toque. Suas mãos terão que correr pelo meu corpo seja para realizar um movimento, seja para me segurar. Então não tenha medo.







Darcy a obedeceu e ajeitou delicadamente suas mãos nas costas de Lizzy, que estavam nuas devido ao decote longo do vestido.



- Melhor assim?



Ele perguntou sorrindo. Lizzy fez um meneio de cabeça.



- Vou fazer pequenos movimentos. Tente me acompanhar. Não se importe de... desculpe mas não acho outro meio de dizer, não tenha medo de roçar a sua perna na minha.



Vendo que Darcy não parecia muito confortável, Lizzy tentou amenizar a situação.



- Não se preocupe, não irei denunciá-lo por abuso. E se fosse o caso, eu seria mais culpada que você!



Ela tentou amenizar enquanto falava sorrindo. Darcy deu uma gargalhada e sentiu-se mais confortável. Lizzy começou a dar pequenos passos, que eram o básico do tango. Depois de alguns minutos ensaiando as passadas, Lizzy ensinou uma pequena coreografia como aprendizado de movimentos.



- Agora quero ver se consegue fazer a coreografia com a minha parte também.



Lizzy falou se aproximando de Darcy e arrumando suas mãos nas costas de Darcy, movimento que ele imitou.



- Não fale, apenas sinta a música e deixe que ela guie seus movimentos. Não pense, aja com o coração.



Lizzy falou antes da musica começar.



http://www.youtube.com/watch?v=bibtqDxXv1o

(esse é mais ou menos o ensaio que tiveram)





Ao final do ensaio, ambos estavam cansados, mas contentes com o avanço que tiveram. O cabelo de Lizzy, antes perfeitamente preso em um coque no alto de sua cabeça, estava bagunçado por causa das inúmeras marcações com cabeça e piruetas. Pequenas gotas de suor nasciam em suas temporas.



O estado de Darcy não era tão diferente. A camisa agora estava com três botões abertos e o cabelo estava ligeiramente bagunçado por causa das mãos de Lizzy que passearam por essa área.







Lizzy andou até o banco onde suas coisas estavam apoiadas e pegou sua garrafa de água, dando um generoso gole. Consultou a hora em seu celular que antes estava desligado.



- Acho melhor encerrarmos por hoje. Já está tarde... se eu demorar é capaz de Jane chamar a polícia britânica toda!



Os dois riram e seguiram conversando sobre amenidades até a entrada da academia.



- Se quizer uma carona...



Darcy ofereceu já com as chaves de seu carro em mãos e apontando para o carro estacionado a poucos metros.



- É muito gentil, mas hoje estou com meu carro.



Lizzy respondeu sorrindo. Darcy pareceu desapontado mais sorriu.



- E quando ensaiaremos de novo?



Ele perguntou.



- amanha...no mesmo horário. Pode ser?



Lizzy perguntou enquanto remexia na bolsa a procura de suas chaves do carro.



- Claro.



Darcy respondeu enquanto caminhavam até o loca onde os carros estavam estacionados. Despediram-se cordialmente e foram para seus respectivos carros. Quando Will estava pronto para dar a partida em seu carro, ouviu Elizabeth chamando-o em seu próprio carro.



- Darcy...será que poderíamos manter nossa dupla em segredo? Eu não gostaria que as pessoas ficassem falando sabe... sobre você ser o dono...







Lizzy pediu completamente envergonhada. Darcy sorriu compreensivo e afirmou que manteria os ensaios em completo sigilo até o dia dos testes. Lizzy sorriu agradecida e seguiram para suas respectivas casas.



************************

Lizzy chegou em casa e encontrou a sala vazia. Todos já deveriam estar dormindo. Foi para cozinhar beber um copo de leite e foi até o quarto. Tomou um banho relaxante e deitou na cama, divagando sobre sua noite.



Dançar com Darcy fora maravilhoso, e ele era um aluno atento e esforçado. Ouviu todos os seus conselhos com boa vontade sem achar que era superior, mesmo sendo o dono da academia.



Lizzy deu uma pequena risada ao lembrar de como ele se sentia tímido em segurá-la próxima a ele e como ele evitava segurá-la com muita força.



“ Ele vai se acostumar com o tempo!”



Lizzy falou divertida lembrando-se da primeira vez que dançara tango com alguém. Não fora fácil segurar seus parceiro tão intimamente.



E foi pensando nisso que se lembrou do toque dele em suas costas nuas. Seu toque era incrível, e o choque de pele com pele era maravilhoso. A mãos deles eram tão suaves, e firmes, passavam-na uma sensação de segurança maravilhosa.



Agora se lembrando de como ficavam perto, pode sentir seu perfume, mesmo estando longe dele. Era um aroma único. E lembrou-se de seus sorriso e brilho dos seus intensos olhos azuis. De seu modo seguro de agir e pelo carinho que ele demonstrava ter por ela.



“ Senhorita Bennet, você está correndo sério perigo!”



Lizzy pensou antes de se acomodar na cama e cair em um sono relaxante.





******************************